Mas afinal de contas, o que é ansiedade, como ela surge, quais seus sintomas?

Você já esteve na expectativa de algo acontecer, e o tempo foi passando, passando e nada acontecia?

Ou você já passou por alguma situação onde sentiu que seria colocado à prova, por exemplo a apresentação de um TCC ou apresentação em um evento, ou até mesmo uma entrevista, ou uma data importante como um casamento ou formatura?

Nessas situações talvez você tenha sentido que não tinha o total controle sobre a situação. Assim surge a ansiedade, como resultado desse sentimento de uma expectativa para o acontecimento de algo.

Quando o fator tempo também não estiver no nosso controle, a ansiedade aumenta ainda mais.

Imagina você aguardando o nascimento de um filho, ou a expectativa de um retorno de entrevista para trabalho ou ainda a notícia do fechamento de algum contrato muito importante para sua empresa.

A distância temporal entre o desejado e a sua concretização gera a expectativa, a curiosidade e a natural ação da mente em desencadear uma tensão interna para agirmos mais rapidamente para saciar essa expectativa.

Começa então um processo de esforço descontrolado para a busca da realização acelerada do que se deseja, muitas vezes gerando o estresse físico e mental.

Tudo pode piorar se além deste sentimento de ansiedade e o consequente esforço descontrolado para livrar-se dele, surgir também um sentimento de desânimo se avaliamos que os resultados esperados forem aquém da nossa expectativa. Isso pode diminuir a intensidade de nossas ações.

A prioridade muda para ações que produzam resultados imediatos e assim deixamos de cultivar nossos maiores sonhos.

A ansiedade se manifesta nessa urgência e imediatismo do desejo que o resultado se concretize o mais rápido possível.

Para evitar a ansiedade gerada por situações que fogem de seu controle, pergunte sempre para você mesmo, essa situação está no meu controle? E se não estiver, pergunte se há algo que você possa fazer para satisfazer sua expectativa. Se não houver, agende uma data para decidir se continua ou não a esperar algo.

E porque nos dias de hoje, se houve falar muito mais em ansiedade do que no passado?

Bem, se olharmos para o passado, perceberemos que as mudanças ocorrem numa velocidade cada vez maior.

Ficamos com o sentimento que tudo fica obsoleto rapidamente e percebemos que cada vez mais temos que nos capacitar, buscar novos conhecimentos, adaptar a novas tecnologias, etc.

Isso dá origem a um sentimento de urgência em aprender, mudar, crescer, se desenvolver, etc., o que acaba trazendo o sentimento que não temos tempo para nada, pois o tempo parece que passa cada vez mais rapidamente, não é mesmo?

Na realidade, são as “coisas” que mudam cada vez mais rapidamente.

Como nossa percepção funciona sempre no relativo, temos a impressão que o tempo está passando mais rapidamente, pois não conseguimos aprender tudo o que gostaríamos, e nem usufruir dos resultados que conquistamos, não conseguimos dar conta de todos nossos compromissos, enfim, ficamos cada vez mais ansiosos para resolver o que sabemos que temos de resolver.

No entanto, a pior consequência que a ansiedade pode causar é, quando afeta os relacionamentos, pois acaba sendo a causa de discussões e do rompimento entre pessoas.

Você já conversou com alguém que fala muito rapidamente? Sabe aquela pessoa que se julga dona da verdade, que se impõe de forma agressiva ao falar e nunca reconhece que possa estar errada?

Muitos manifestam sua ansiedade nesta comunicação acelerada, querendo apresentar seu ponto de vista como se fosse a única verdade sobre aquele assunto. Estão tão presos às suas opiniões que não têm tempo de parar e analisar outras possibilidades.

O que fazer então para resolver este problema tão sério de comunicação e relacionamentos causado pela ansiedade?

Primeiro – Quando alguém discordar de você, PARE, pergunte O QUE a levou a pensar daquela maneira?

Pergunte o que ela sugere? Pergunte como fazer? Enfim faça perguntas e realmente TENHA CALMA PARA OUVIR as respostas.

Segundo – Sabendo o que o outro pensa e o que o levou a discordar de você, selecione as boas ideias, aproveite boas sugestões, e para as sugestões que você tiver a agrega, elabore uma solução de consenso, e assim, evite se estressar devido a ansiedade em impor seu ponto de vista.

Lembre-se, por maior que seja sua certeza, sempre poderá haver alguma sugestão para tornar sua ideia melhor ainda.

Tenha uma boa semana!