Muito se usa a expressão “o corpo fala”, realmente o nosso corpo se comunica a todo momento, que seja conosco ou com as outras pessoas. Mas a pergunta é: Você entende o que seu corpo está dizendo?

A conexão entre mente e corpo é muito íntima. Este relacionamento acontece de maneira recíproca, afinal tudo que acontece na mente ou no cérebro, reflete no corpo, e tudo que acontece no corpo, influencia nos estados internos.

Por exemplo, quando uma pessoa fica ansiosa, seu corpo libera toda uma cadeia de fenômenos e estados internos que atendam o padrão que esta pessoa tem de ansiedade. Estes acontecimentos podem incluir o aumento da tenção muscular, aumento dos batimentos cardíacos, encurtamento da respiração, mudança da posição corporal, pensamentos viróticos (pensamentos ruins que tendem a ficar se repetindo continuamente) e muitos outros elementos relacionados.

Isso acontece de uma maneira automática, pois nosso cérebro aprendeu durante aproximadamente 14 anos como representar estado internos.

Falando especificamente do Biofeedback, ele é uma ferramenta que auxilia a percepção destes acontecimentos corporais para que seja possível realizar um condicionamento psicofisiológico. Quando se utiliza a tecnologia do biofeedback, se ganha um grande aliado na monitoração do corpo.

No caso da pessoa acima, que está ansiosa, o trabalho do biofeedback irá trabalhar com os aspectos físicos envolvidos na ansiedade e os gatilhos que a disparam. Depois de identificada a origem e as alterações corporais da ansiedade, o trabalho consiste em “treinar” o corpo a mudar a resposta automática a alguma coisa.

Sentir ansiedade as vezes é normal, o problema começa quando a ansiedade toma conta do dia a dia, e com uma simples técnica de controle de respiração, é possível mudar os estados internos e suas reações fisiológicas.

Esta técnica foi utilizada pela atleta e amiga do Instituto Ferrarezi, Fabíola Molina e a delegação de Judô brasileira nas olimpíadas de Londres.

O foco foi controlar a ansiedade pré-competição, a melhora de foco na performance competitiva. O biofeedback é muito utilizado não somente por atletas, mas por pessoas que precisam de um turbo de criatividade, diminuição do estresse, depressão, ansiedade, falta de foco…

Assista a matéria do abaixo, exibida pela rede Globo, a qual mostra alguns equipamentos e técnicas de biofeedback, e como elas foram utilizadas.