Com o passar dos tempos, a medicina vem tendo avanços fantásticos. Na idade média, a peste matava milhares, depois a febre amarela, e muitas outras doenças causadas por vírus e bactérias.

O tempo passou, a medicina evoluiu e novas drogas foram inventadas, surgiram recursos cirúrgicos e tecnologia para diagnosticar e resolver problemas relacionados à saúde do homem.

O avanço da tecnologia vem possibilitando recursos para produzir mudanças cada vez mais velozes no nosso dia a dia, tudo mudando com uma rapidez frenética, não permitindo ao homem acompanhar as próprias mudanças geradas por ele mesmo.

doenças profissionaisO reflexo destas mudanças aceleradas traz um sentimento de incapacidade para acompanhá-las, pois por mais que se atualize, mais há para aprender, pois há sempre uma nova tecnologia, novas informações, novas descobertas.

Enfim, a própria tecnologia oferece recursos que permitem ao homem a agilidade cada vez maior para criar o novo, em divulgar o novo, e ter acesso às novas descobertas cada vez mais rapidamente.

Há não menos de 50 anos demorava dias para uma notícia ir de um continente a outro. Hoje é questão de segundos entre o fato ocorrer e o mundo todo tomar conhecimento.

Com este sentimento de incapacidade o homem passa a viver num estado de tensão, pressão e expectativa, o qual dificilmente é satisfeito por completo. Isso pode causar frustração, desilusão, stress, etc.

Numa época onde as doenças transmissíveis por bactérias e vírus estão sob controle, assistimos à proliferação de desequilíbrios físicos e psíquicos que não possuem um agente transmissor causador destas doenças.

Um número cada vez maior das chamadas ´doenças modernas´ se proliferam.

Cada vez mais se houve falar em pessoas com hipertensão, câncer, diabete, depressão, alergia, síndrome do pânico, insônia, fibromialgia, enxaqueca, gastrite, obesidade, compulsão por bebida, chocolate ou fumo, etc., mas onde estão os vírus, as bactérias causadoras destas doenças?

Hoje em dia a indústria farmacêutica produz um número cada vez maior de medicamentos voltados a minimizar os efeitos destes sintomas, medicamentos que atuam no sentido de combater o efeito causado por estas doenças; insulina, calmantes, antidepressivos, antialérgicos, etc.

Mas o que causa estas doenças?

Qual a origem destas doenças? O que as desencadeia?

Na realidade, estas doenças não possuem um agente causador, mas sim um fato desencadeador, um estímulo que dá origem a todo um processo de reação do nosso cérebro em criar meios pelos quais irá agir no sentido de proteger o indivíduo.

dor de cabeçaDa mesma forma que a febre, é uma reação do corpo para eliminar uma infecção, da mesma forma que a dor é um sinal de alerta que algo não vai bem, da mesma forma que os sintomas gerados pelo efeito do ataque de bactéria ou vírus ao nosso organismo são alertas para buscarmos a defesa a estes agentes; as ´doenças modernas´, nada mais são que alertas que algo não vai bem ou reações comportamentais buscando um novo ponto de equilíbrio.

São reações indicativas que devemos mudar algum hábito, ou a forma como vivemos, ou a forma como enxergamos a vida, ou a forma como reagimos emocionalmente aos fatos da vida, ou a forma como nos permitimos influenciar pelo meio que vivemos, pela expectativa de vida que temos, pela certeza de bem-estar e segurança que temos.

A qualidade das substâncias químicas produzidas pelo cérebro e afetarão nosso sistema físico está intimamente ligada com a forma como interpretamos os fatos que ocorrem em nossa vida, levando ao sentimento de tranquilidade ou intranquilidade, calma ou agitação, ação ou passividade, força para agir ou apatia.

Mas de onde vem esta forma de como interpretamos os fatos?

Porque pessoas diante de um mesmo acontecimento têm reações completamente diferentes?

Porque enquanto uns são otimistas e enfrentam a vida com disposição, outros são pessimistas e enfrentam a vida com apatia?

Enquanto uns buscam solução para os problemas, outros buscam desculpas para conviver com o problema?

Afinal qual a origem dos nossos comportamentos?

Nosso padrão comportamental vem de nossas experiências passadas. Até por volta de nossos 9 anos todas as influências, acontecimentos e experiências pelas quais passamos irão formar uma base referencial, a qual irá nortear nossas decisões ao longo da vida.origem

Há duas reações básicas do nosso cérebro, reações inconscientes que nos levam a agir ou reagir.

A primeira é a reação comportamental inconsciente baseada no conhecimento e experiências referenciais de fatos similares que ocorreram no passado.

Assim se a pessoa tem como referência que ao tomar banho e sair no vento irá ter gripe, com certeza isto acontecerá, sua mente irá providenciar uma diminuição em sua resistência física para que as bactérias ou vírus que ali já existem se desenvolvam.

Esta base referencial dá a sustentação para as crenças que norteiam os comportamentos ao longo de toda a vida.

Pode-se desenvolver uma elevada auto-estima se as referências que a criança teve das pessoas que com ela conviveram são referências de confiança, de capacidade, de confiança.

A segunda é o mecanismo interior de proteção da espécie que atuará no sentido de proteger o ser humano.

Vamos supor alguém que viva em constante estado de alerta por criar em sua mente uma expectativa negativa por algo de ruim que possa acontecer em sua vida, talvez seja a insegurança de perder o emprego e não conseguir outro, a cobrança constante por maior produtividade com aumento de trabalho e redução do tempo gerando a sensação que incapacidade e mal-estar.

Este estado de alerta constante irá dar origem a uma produção exagerada de adrenalina por um longo período de tempo podendo levar o organismo ao estresse, em muitos casos originando um processo de estafa, que nada mais é que um mecanismo de defesa do cérebro, o qual desliga o corpo levando o indivíduo ao desmaio.

É como um carro turbinado funcionando durante muito tempo sob alta rotação, se não parar acaba fundindo.

Antes que isto ocorra o mecanismo de autoproteção entra em ação.

Assim, tendo como referência nossas experiências do passado criamos em nossa mente a realidade antecipada do que poderá acontecer e passamos a viver esta realidade virtual.

Assim surgem as ´doenças modernas´, normalmente com a origem na nossa mente, no descontrole na produção de substratos químicos que visam nossa proteção.

Como essas doenças nos afetam?

Quantas vezes a pessoa estressada vai atravessar a rua distraidamente e é atropelada?

Quantas vezes a pessoa hipertensa está dirigindo pensando em seus problemas, ocorre uma parada cardíaca e um acidente ocorre?

Quantas vezes o diabético tem uma hiperglicemia dirigindo e desmaia?

Quantas vezes a pessoa que sofre de insônia por não ter suas horas normais de sono, seu desempenho no trabalho se torna medíocre e esta é despedida?

Quantos suicídios têm suas origens na depressão em que se encontra a pessoa?

Quantas vezes a origem dos desentendimentos familiares, das separações, estão baseadas na falta de paciência, na ansiedade, na falta de comunicação?

Assim, o ser humano precisa constantemente buscar um novo ponto de equilíbrio, pelo entendimento de seus processos interiores de tomada de decisões, aumentando assim sua flexibilidade para abandonar velhos paradigmas e pronto para criar novos padrões saudáveis de comportamentos.

Realinhe seus comportamentos,
mude sua vida!