Pessoas são diferentes, agem de diferentes formas, têm preferências que as diferenciam de outras pessoas. Isso tudo é muito natural.

Essas diferenças acabam originando divergências e conflitos numa família ou numa equipe de trabalho.

Na convivência do cotidiano, surgem diferenças de opiniões na forma como cada um encara as diversas situações que necessitam soluções, onde inúmeras pessoas manifestam suas opiniões.

Afinal de contas… Como funcionamos?

O ser humano toma suas decisões e manifesta suas opiniões fundamentado em seu mundo interior.

Este mundo é formado por um conjunto de informações que foram sendo armazenadas ao longo da vida.

Essas informações surgiram de experiências e acontecimentos que permearam a vida do indivíduo.

Esses acontecimentos em diferentes épocas da vida originaram padrões de comportamentos que passam a se repetir ao longo da vida futura do indivíduo.

Na fase adulta somos direcionados por esses padrões.

Temos padrões para falar a língua portuguesa, para utilizar os talheres, para andar de bicicleta, dirigir automóvel e tantos outros que determinam nossos comportamentos.

O comportamento humano é direcionado pela emoção humana.

Se a mente avaliar que experimentaremos boas emoções, teremos vontade de agir, caso contrário não teremos essa vontade e passamos a dar desculpas e justificativas para não fazer algo.

Por este motivo existem comportamentos que aparentemente nos causam desconforto, mas a INTENÇÃO inconsciente é sempre de proteção e ajuda ao indivíduo.

Por exemplo, podemos citar uma criança que vê uma barata pela primeira vez na vida, seu primeiro instinto será de pegá-la para brincar. Com o objetivo de protegê-la ou até porque na sua infância não teve uma relação muito agradável com uma barata, a repreende com grande emoção.

Dessa forma um padrão emocional de repulsa à barata é formado. A partir daí, por todo o resto da vida, aquele indivíduo terá repulsa, asco, fobia ou pânico à barata.

Tudo depende da intensidade emocional e do padrão mental que foi formado na mente da criança.

Vamos fazer um teste com você: “Imagina uma barata vindo em sua direção, imagina essa barata subindo pelas suas pernas, então imagina você pegando a barata na mão, esmagando a barata e começa a escorrer pelos vãos dos seus dedos um líquido branco que parece iogurte de coco…, PARA!!!!!!!!!!!”

É isso que está em sua mente agora, está com nojo, com o corpo totalmente arrepiado.

Pois é, não existe uma barata real, mas essas palavras foram estimulando o padrão comportamental de barata que existe em sua mente e dessa forma você reproduz em seu corpo a mesma sensação, emoção e sentimento que já experimentou no passado.

Agora, imagina tantos outros comportamentos que afetam os desempenhos profissionais.

Pessoas que têm medo de falar em público, têm receio de manifestar suas ideias, não toleram opiniões e correções, acham que estão sempre certos, se magoam facilmente, enfim, quantos comportamentos causam mau estar e impedem pessoas de desempenhar todo seu potencial.

Esses padrões são estimulados a todo o momento por referências visuais, auditivas e sinestésicas (tato, olfato, paladar) do meio onde vivemos.

A partir das emoções associadas aos padrões é que as decisões são tomadas.

Perceba que são os padrões determinam um conjunto de crenças, valores, regras e sentimentos que nos levam a tomar decisões de enfrentar ou fugir dos desafios que encontramos no nosso cotidiano tanto na família como no trabalho.

Conhecer esses padrões e poder reestruturá-los e transformá-los em padrões de sucesso, padrões que permitam decisões mais assertivas e direcionadas para a conquista de resultados é o caminho infalível para assumir o controle de nossas decisões e assim conquistar um futuro de sucesso.

Finalizando, somente por meio do conhecimento da origem dos padrões limitantes e recursos com tecnologia avançada na mudança desses padrões é que você poderá criar novos padrões, escolhidos por você em substituição aos antigos que lhe causam comportamentos que impedem você de ser mais.

Mais do que? Do que você deseja, mas inconscientemente seus padrões o impedem.

Tenha uma boa semana!